Menu Close

A História Do Brasil Para Quem Tem Pressa Pdf

A história do Brasil para aqueles que estão com pressa

Se você está procurando uma maneira rápida de entender a história do Brasil, você chega ao lugar certo. Este artigo cobrirá tudo, desde a colonização portuguesa até a escravidão e os povos indígenas. Também apresentará a música portuguesa e a cultura rica em países.

Colonização portuguesa

A colonização portuguesa do Brasil foi precedida por uma série de tratados entre Portugal e Castela. Cerca de 80 anos antes, Christopher Columbus e outros europeus haviam navegado com sucesso pelas costas da África e da Índia, e os portugueses estavam ansiosos para expandir seu império. À medida que a colonização portuguesa do Brasil ganhou força, eles começaram a mudar de uma atitude cruzada para uma negociação, concentrando -se na comunicação e cooperação com os povos indígenas.

Os portugueses tentaram primeiro converter os brasileiros nativos ao catolicismo e enviaram missionários. Eles também montaram assentamentos missionários chamados Aldeias, onde viveriam com os povos indígenas convertidos. Os portugueses também tentaram usar o trabalho indígena, mas seus esforços nunca tiveram muito sucesso e começaram a importar escravos africanos para concluir seu trabalho. Eles também começaram a cultivar cana -de -açúcar no nordeste do Brasil.

A colonização portuguesa do Brasil seguiu um padrão semelhante à colonização espanhola da América do Sul. Ambas as potências européias pretendiam descobrir novos territórios, e ambos foram alimentados por agendas econômicas e religiosas. Os colonizadores do Brasil escravizaram a população indígena e promoveram uma campanha religiosa feroz em nome do catolicismo.

Os portugueses usaram escravos como mão -de -obra barata, mas para manter um comércio lucrativo, eles também importaram africanos para o Brasil. Os comerciantes portugueses compraram escravos no comércio de escravos e os enviaram para o Brasil em correntes, geralmente em condições de lotes. Essa prática se espalhou por todo o mundo e acabou sendo adotada por outras colônias européias em áreas tropicais. Esses escravos eram frequentemente trocados por conchas. Eles também usaram escravos em suas colônias, e os comerciantes de escravos portugueses os exportaram para outros países europeus.

Em 1549, o rei português João III dissolveu as colônias particulares e fundiu os quinze capitães hereditários do Brasil em uma colônia da coroa. Essa nova colônia da coroa era conhecida como general da província do Brasil, e as capitões individuais continuaram a existir como províncias dentro da colônia até 1815.

Escravidão

Se você está com pressa e não quiser passar muito tempo lendo sobre a escravidão, pode pular até o fim e ler uma rápida visão geral da história da escravidão no Brasil. Enquanto você não aprenderá tudo sobre a história da escravidão no Brasil, você poderá aprender sobre as várias culturas e subgrupos que faziam parte do sistema.

A maior revolta escrava da história brasileira ocorreu em Salvador em 1835. Organizado pelo grupo étnico muçulmano nascido na África, a revolta teve como objetivo libertar toda a população de escravos no estado da Bahia. Embora a revolta fosse em grande parte muçulmana, havia vários escravos negros que se juntaram à revolta. No entanto, os escravos nascidos no brasileiro estavam conspicuamente ausentes da revolta. Mais de 250 escravos africanos foram presos durante a revolta, e a revolta acabou sendo esmagada.

Embora o governo brasileiro geralmente tenha evitado questões de raça e classe, há muito tempo se referiu a si mesmo como uma democracia racial. O Brasil foi responsável por importar cerca de cinco milhões de africanos escravizados. A certa altura, era o maior mercado de escravos do mundo, representando aproximadamente 40 % do comércio transatlântico de escravos. No entanto, em 1888, o Brasil aboliu a escravidão, tornando -o o último país do Hemisfério Ocidental a fazê -lo.

Embora não haja estatísticas oficiais sobre o número de pessoas escravas no Brasil, há evidências que sugerem que a escravidão é generalizada. O governo brasileiro começou a trabalhar com produtores de café para melhorar as condições de trabalho. A lista suja dos governos de proprietários de escravos pretende garantir que o trabalho de escravo não seja tolerado. As empresas que estão na lista negra pelo governo não podem receber financiamento estatal e não podem pedir emprestado de bancos privados.

Música portuguesa

Bossa Nova é uma das formas mais acessíveis de música brasileira. No entanto, pode ser assassinato se apresentar, com seus ritmos fora do centro e afins complicados. Felizmente, existem excelentes gravações por figuras seminais e conjuntos vocais. O Trio Elis Regina, por exemplo, tinha um comando intuitivo da Bossa Nova. Da mesma forma, Leila Pinheiro é uma intuitiva intuitiva da música de Tom Jobims.

Embora a maioria das pessoas associe a música brasileira a Samba e Lambada, há um espectro de música muito mais amplo que a torna única. Muitos músicos brasileiros foram exilados na década de 1960 durante a ditadura militar e encontraram uma nova casa no Reino Unido. Alguns foram inspirados pela música africana, misturando -a com sons brasileiros. Outros foram influenciados pelo rock and roll.

A ópera também prevaleceu no Brasil. O país possui várias casas de ópera, incluindo o Teatro Amazonas em Manaus e o teatro municipal do Rio de Janeiro e São Paulo. Outros compositores notáveis incluem Heitor Villa-Lobos, Carlos Gomes e Claudio Santoro. O Brasil também abriga uma comunidade musical contemporânea cada vez mais vibrante. Você pode conferir algumas das novas obras de compositores emergentes no site da Musica Brasilis.

O país produziu muitas cantoras talentosas. Pessoas como Simone, Fafa de Belem e Maria Creuza são exemplos disso. Nos últimos anos, surgiram novas descobertas, como Daniela Mercury e Margareth Menezes. Além desses artistas notáveis, você pode conferir artistas mais novos, como Virginia Rodrigues, cuja voz sombria e cremosa fez dela uma favorita dos fãs da cantora de Morna Cesaria Evora.

Existem muitos álbuns no mercado com música brasileira. No entanto, se você tem pouco tempo, pode ser uma boa ideia pular alguns desses álbuns e apenas ouvir os que você gosta. Você ainda pode descobrir algumas das ótimas músicas do Brasil ouvindo álbuns portugueses.

Varíola

A história do controle da varíola do Brasil é marcada por mudanças nas prioridades do governo. Durante os primeiros períodos republicanos e imperiais, a doença estava no topo da agenda oficial. No entanto, nos séculos 20 e 30, a doença escapou da agenda política enquanto o país se concentrava no controle da febre amarela e da malária. Não foi até a década de 1960 que a varíola ocupa mais uma vez o centro da política de saúde brasileira.

A resposta do governo brasileiro à varíola foi uma mistura de alinhamento político com os Estados Unidos e uma agenda internacional de erradicação. A erradicação da varíola foi alcançada por uma combinação de políticas nacionais inovadoras de saúde e programas internacionais de saúde. O sucesso dos programas levou à promoção de jovens epidemiologistas que ocupavam cargos de destaque nas comunidades nacionais e internacionais de saúde.

O último caso registrado de varíola no Brasil foi registrado em abril de 1971. A Organização Mundial da Saúde declarou o país livre da doença em 1980. A varíola é uma infecção viral contagiosa que causa febre alta, mal -estar e dor de cabeça. Os primeiros sinais da doença geralmente aparecem 12 a 14 dias após a exposição ao vírus. As pessoas infectadas desenvolvem uma erupção cutânea que começa no rosto e se espalha para os braços e as pernas. A erupção cutânea acabará por levar à ulceração da faringe. Depois, a varíola se espalhará para outras partes do corpo.

Além da varíola, outras doenças foram generalizadas ao longo do século XIX no Brasil. O naturalista alemão Carl Friedrich Philipp von Martius e Johann Baptist von Spix viajaram pelo Brasil de 1817 a 1820, coletando dados sobre doenças, remédios familiares, idioma e folclore. Eles observaram a alta suscetibilidade dos povos nativos à varíola e a longa duração da doença.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *