Ryanair derrotada por pessoal de bordo

Ryanair não poderá continuar a impor lei laboral irlandesa aos seus funcionários no estrangeiro

0
14
REUTERS/ANDREW YATES

A Ryanair foi derrotada no braço de ferro jurídico com o seu pessoal de bordo, o que quer dizer que não poderá continuar a impor aos seus funcionários a lei laboral irlandesa, país onde a companhia aérea se encontra sediada. A decisão foi anunciada pelo Tribunal de Justiça da União Europeia depois da queixa efetuada por um grupo de funcionários sedado na base da Ryanair no aeroporto de Charleroi, na Bélgica.

Apesar da decisão, a companhia aérea fez saber através do diretor executivo, Michael O’Leary, que na prática, não poderão alterar os contratos irlandeses nem a sua estrutura pelo que o impacto da medida será nulo.

O pessoal de bordo tem agora a opção de recorrer à justiça dos países onde se encontram colocados, o acórdão do Tribunal sublinhou que a justiça laboral na União Europeia estava feita de forma a proteger a parte mais fraca, neste caso os trabalhadores.