Português que fazia parte de rede internacional de phishing preso

Homem recebia valores roubados através do acesso ilegítimo a contas bancárias online e ficava com uma percentagem para si. Fonte da PJ avançou que o português tinha um "papel preponderante" na rede criminosa internacional.

0
16
REUTERS/Kacper Pempel

A Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) da Polícia Judiciária deteve há pouco dias um cidadão português de 45 anos que fazia modo de vida como mula de dinheiro e angariador num esquema de phishing montado por uma rede criminosa internacional que operava em vários países da União Europeia.

O homem recebia valores roubados através do acesso ilegítimo a contas bancárias online e ficava com uma percentagem para si. Investigado há cerca de nove meses pelos inspetores especialistas em crime informático, o indivíduo foi presente a juiz, que declarou a prisão preventiva.

Fonte da PJ avançou que o português tinha um “papel preponderante” na rede criminosa internacional que, através acesso ilegítimo a contas online, fez “dezenas de vítimas em vários países europeus, algumas delas em Portugal”, refere o DN.

A Polícia Judiciária informou ainda, em comunicado emitido hoje que, “prossegue as investigações no sentido de apurar a natureza e a extensão das conexões criminosas, continuando a acompanhar casos concretos de fenómenos criminais semelhantes e sublinha a necessidade de os utilizadores bancários não indicarem senhas de acesso e seguirem os conselhos dos seus Bancos quanto a questões de segurança”.