Parabéns Luís Ribeiro pelo teu gesto

0
142

Luís Ribeiro é Motorista nos autocarros públicos da cidade de Zurique e foi alvo de menções honrosas por parte da imprensa helvética por um seu gesto que ele mesmo contou por palavras suas, no passado mês de Maio, na linha 77 pelas 10.30 da noite. Luís Ribeiro é natural de Amarante, casado, 37 anos de idade, uma filha e vive na Suíça desde o ano de 1996. Trabalha nos Transportes públicos desde o dia 1 de Julho de 2008. O seu primeiro emprego na Suíça foi cozinheiro numa Pizzeria. Que é que aconteceu no passado dia 26? O que aconteceu no passado dia 26 de Maio, é que eu estava a fazer a linha 77, às 10 e meia da noite, quando houve um acidente que interrompeu a linha 11, e como o percurso que eu estava a trabalhar é perto do local onde aconteceu o incidente, a Central comunicou-me para ir a Kreuzplatz, cidade de Zurique, portanto, buscar as pessoas das outras linhas, dado que os elétricos não passavam, já que tinham de ser desviados.Assim fiz e quando lá cheguei a Kreuzplatz tinha muita gente à espera do autocarro que conduzia. Entre todas as pessoas, estavam três pessoas em cadeira de rodas, as quais me perguntaram se passava na Clínica. Eu respondi afirmativamente…Tive alguma dificuldade em acomodar as pessoas no autocarro, porque três cadeiras de rodas num autocarro é complicado, mas lá conseguimos e segui o meu trajeto. Entretanto reparei que as pessoas com deficiência motora olhavam para mim com um ar de preocupação dado que eu não estava a seguir o trajeto que eles esperavam. Bom, cheguei à Clínica, que pensava que era o destino dessas pessoas, e perguntei se era aquele o local que desejavam…eles responderam que não, que o destino deles era uma outra Clínica, a de Balgrist… Como não fazia sentido em trazê-los de volta, tomei a decisão de contactar a Central dos autocarros e pedir autorização para me desviar do meu trajeto habitual com o autocarro e levá-los à Clinica Balgrist, que era o seu destino. A Central deu autorização desde que os outros passageiros estivessem de acordo. Perguntei a todos os passageiros se estavam de acordo que se fizesse o desvio. Todos concordaram de imediato, e assim pude levar as três pessoas com deficiência motora, nas suas cadeiras de rodas à Clínica Balgrist. Saí do meu trajeto e levei-as… apenas mais um pormenor, para que as pessoas pudessem descer do autocarro, três jovens passageiros ajudaram dado que não conseguia baixar a rampa que existe nas viaturas para este tipo de situações…As pessoas agradeceram, e voltei ao meu trajeto normal…Foi isto que aconteceu, senti que fiz a minha obrigação, naquele momento e àquela hora da noite. Devo dizer com o consentimento dos meus superiores, mas fiquei contente por ter ajudado.