Mulher saudável optou pelo suicídio assistido porque a velhice “é horrível”

0
146

Depois de vários anos a tratar de idosos, GIl Pharaoh, enfermeira, decidiu colocar um ponto final na vida. Caso que está a causar perplexidade, e não apenas na Suiça, onde aconteceu. Os filhos e o marido foram os primeiros a saber.

Provavelmente não foi a primeira vez que alguém saudável optou pelo suicídio assistido, previsto na lei suíça, mas este caso está a ter grande visibilidade.

Gill Pharaoh, 75 anos, natural de Londres, não tinha qualquer doença terminal nem sofria de depressão. Apenas não queria vir a ser um problema para os dois filhos, como deixou escrito.

A antiga enfermeira, que trabalhou vários anos nos cuidados paliativos e escreveu dois livros sobre a melhor forma de cuidar de idoso, também não queria vir a receber cuidados de um estranho, mesmo que profissional.

Gill escolheu a clínica “Lifecircle” em Basileia (Suíça), onde morreu no final de julho, de suicídio assistido.

Os filhos e o marido sabiam da sua decisão.