Mídia lusófona destaca inauguração do túnel do Gotardo

0
197
(L-R) France's President Francois Hollande, Germany's Chancellor Angela Merkel and Switzerland's President Johann Schneider-Ammann look on after travelling through the Gotthard Rail Tunnel, the longest tunnel in the world, on its opening day, at the southern portal in Pollegio, Switzerland, June 1, 2016. REUTERS/Peter Klauzner/Pool - RTX2F5PP

Na manhã após a abertura oficial do túnel de base do Gotardo, o mais longo do mundo, a mídia lusófona faz comentários e destaca o que muitos consideram como “a obra do século”. Alguns ressaltam a capacidade da Suíça de executar obras em tempo e sem exceder o orçamento.

O Terra destaca os valores gastos, mas mostra que os objetivos dos responsáveis pela obra foram alcançados. “Embora os túneis não tenham sido nem fáceis de construir nem baratos – a Suíça pagou um total de 12,2 bilhões de francos suíços (cerca de 11 bilhões de euros) por ele – o custo excedente em comparação com a estimativa inicial foi de apenas 21%, desconsiderando a inflação”, relata. Ao entrevistar um especialista, o conhecido portal brasileiro faz a comparação com outros países. “‘O túnel de base de São Gotardo está perto da média de excesso de custos, mas considerando que ele é maior do que a maioria dos túneis e levou mais tempo para ser construído, eu diria que 21% não é um número ruim’, ressalta o pesquisador Bent Flyvbjerg, da Universidade de Oxford. Segundo ele, megaprojetos de transporte na Europa normalmente ultrapassam as estimativas orçamentais iniciais em cerca de 27%.”

Já o Diário de Notícias lembrou do aspecto simbólico do túnel de base do Gotardo. “Uma maravilha da engenharia suíça que pretende ser um símbolo da unidade europeia numa altura de divisões e fragmentação, assumem os responsáveis, que inauguram hoje a sua “obra-prima”, dizem, numa cerimónia que conta com vários líderes europeus.”

O Expresso compara o túnel do Gotardo com outra obra recém-finalizada em Portugal. “É dez vezes mais comprido que o recentemente inaugurado Túnel do Marão e tem mais 6,5 km que o Túnel da Mancha. Demorou 18 anos a construir e é uma das maiores obras de todos os tempos da engenharia europeia”. O jornal português lembra que uma das principais razões para justificar o gigantesco projeto está no meio-ambiente. “…Desta forma procura-se atenuar a tendência moderna para concentrar todo o transporte de mercadorias no camião. A Suíça, entre a França, Alemanha e Itália corria o risco de se transformar numa espécie de rotunda gigante da Europa, congestionada e poluída por fluxos de mercadorias com os quais pouco ou nada tem a ver….”

A RTP Notícias associou o túnel do Gotardo com grandes feitos portugueses.”…Chamam-lhe “a conquista dos Alpes” e comparam-no à aventura das explorações marítimas de outros séculos. O túnel de Gotardo, ou São Gotardo, é inaugurado esta quarta-feira, 1 de junho, com pompa, circunstância e quatro chefes de Governo”, escreveu o portal do canal de televisão pública de Portugal, dando também destaque às qualidades dos planejadores. “Tal como um relógio suíço, a engenharia financeira não falhou um milímetro. A obra custou exatamente os 12,2 mil milhões de francos suíços orçamentados, o equivalente a onze mil milhões de euros. E foi terminada no prazo previsto…”

Ao entrevistar o presidente da Comboios de Portugal, que estava presente na inauguração do túnel de base do Gotardo, o Expresso faz referência histórica. “…Sua inauguração concretizou um sonho projetado em 1947, pelo engenheiro Carl Eduard Gruner, para uma ligação, na altura com menos quilómetros, por túnel entre Amsteg e Bodio”, afirmou Manuel Queiró. Em sua opinião, um dos maiores ganhos da Suíça com o túnel é na ecologia. “A grande vantagem”, diz, “será notada na sustentabilidade ambiental do transporte de mercadorias, porque vão passar diariamente por este túnel 260 comboios de mercadorias, que circulam movidos a eletricidade, sem emissões de CO2.”

O Antagonista, portal dos jornalistas brasileiros Mario Sabino e Diogo Mainardi, compara os custos de construção do túnel do São Gotardo com as obras do metrô de São Paulo. “….Hoje, foi inaugurado o túnel ferroviário de São Gotardo, construído pela Suíça para ligar o Norte e o Sul da Europa. Com 57 quilômetros de extensão, o túnel atravessa montanhas alpinas de até 2.300 metros de altura. Custo total desse prodígio da engenharia: 11 bilhões de euros, o equivalente a 44 bilhões de reais. Cada quilômetro custou, portanto, 772 milhões de reais” e “A Linha Amarela do metrô paulistano, se um dia ficar pronta, terá 12,8 quilômetros de extensão. Custo total dessa banalidade da engenharia: 5,6 bilhões de reais. Cada quilômetro custará, portanto, 437 milhões de reais. Mas esse preço deve aumentar.”

O Angola Press escreveu um relato sobre a inauguração e acrescentou no artigo que “…o recorde do túnel pode durar pouco, já que existe um projeto na China ainda mais ambicioso: perfurar um túnel de 123 km sob o Mar de Bohai…”

Fonte: Swissinfo