Museu do Caramulo

Dois edifícios que se destacam na pequena povoação do Caramulo, concelho de Tondela: um, construído por Abel de Lacerda, destinado a expor objectos de arte, com uma colecção formada por cerca de 500 peças de pintura, escultura, mobiliário, cerâmica e tapeçarias. Um espólio constituído por ofertas de coleccionadores e artistas contemporâneos de renome, como Vieira da Silva, Jean Lurçat, Salvador Dali e Pablo Picasso.

Ao nível da pintura, o Museu apresenta uma selecção de obras de consagrados pintores nacionais, como Grão Vasco, Silva Porto, Columbano e Amadeo de Sousa Cardoso, passando ainda por artistas flamengos como Frei Carlos, Quinten Metsijs, Isembrant, Jacob Jordaens ou franceses como Hyacinthe Rigaud, Frans Pourbus, Raoul Dufy e Fernand Léger.

Na secção de têxteis, destacam-se 4 tapeçarias monumentais, encomendadas pelo Rei das Descobertas – D. Manuel I – tecidas em Tournai no 1º. Quartel do séc. XVI.

O núcleo de escultura é composto por peças de artistas portugueses como Salvador Barata Feyo, Canto da Maya, Leopoldo de Almeida ou António Duarte, bem como os estrangeiros, José Cañas e José Clará.

O outro edifício, anexo, construído por João de Lacerda, um apaixonado do automóvel, vocacionado para expor 100 automóveis e motos.

Uma colecção iniciada com a aquisição de um Ford T de 1925, em 1955, e que desde então não tem parado de aumentar, com a chegada de novos modelos. restaurados e em bom estado mecânico, em boas condições de circulação.

De resto, todos os automóveis expostos saem pelo menos duas vezes por ano do espaço do museu para a participação em desfiles ou mesmo em provas.

A exposição permanente é formada por 30 motociclos e 70 automóveis (14 dos quais veteranos), representando 36 marcas de 7 países. O mais antigo é um Benz de 1886 e o mais recente um Ferrari 456, de 1998. Existe ainda uma variada colecção de bicicletas e triciclos antigos.

Entre outras preciosidades ou curiosidades estão na Caramulo:

o mais antigo automóvel ainda em funcionamento em Portugal, o Peugeot de 1899;

o Bugatti 35B, em que Lehrfeld estabeleceu, em 1931, o recorde do quilómetro lançado, a mais de 200 km/h;

o Mercedes-Benz blindado e o Cadillac que estiveram ao serviço de Oliveira Salazar;

o Pegaso Sport, oferecido pelo General Franco ao Presidente Craveiro Lopes;

o Chrysler Imperial da PIDE que protagonizou a “Fuga da Prisão de Caxias”;

o Renault que foi pertença do conselheiro João Franco;

o Rolls-Royce que serviu a Rainha Isabel II, o Presidente Eisenhower e o Papa João Paulo II nas suas visitas a Portugal;

o Fiat oferecido ao Dr. João de Lacerda, pelo presidente do Grupo Fiat.

Em Março de 2004, o Museu do Caramulo passou a contar também com uma exposição permanente de brinquedos antigos e miniaturas de colecção.

Cerca de 2000 peças que percorrem quase um século da história do brinquedo e do coleccionismo: da lata ao plástico, da massa ao ferro, a exposição é variada, na diversidade das peças como nas suas origens e formas de produção.
As temáticas cobrem áreas como a aviação, comboios, barcos, automóveis e transportes terrestres, militares e guerra, pistas de acção, jogos e ficção científica, e os brinquedos de origem portuguesa.

Museu do Caramulo Rua Jean Lurçat 42 3475-031 Caramulo Portugal Tel: +351 232 861 270 Fax: +351 232 861 308

Horário de abertura

Verão: das 10.00 às 13.00 e das 14.00 às 18.00.

Inverno: das 10.00 às 13.00 e das 14.00 às 17.00.

O Museu do Caramulo encerra na véspera de Natal e dia de Natal de manhã, dia 1 de Janeiro de manhã, Domingo de Páscoa de manhã e Segunda-feira de Páscoa.

Como chegar ao Caramulo:

Auto-estrada A1> A25 direcção Viseu

Auto-estrada A1> IP3 direcção Tondela

Onde ficar no Caramulo:

Hotel do Caramulo

Para mais informações, visite o site oficial do Museu do Caramulo