Estação de Arte Rupestre de Alagoa – Tondela

IPA: Sítio

Nº IPA: PT021821010009

Designação: Estação de Arte Rupestre de Alagoa

Localização: Viseu, Tondela, Barreiro de Besteiros

Acesso:

IP 3, para Molelos/Tondela/C. Besteiros. EN 230 em Campo de Besteiros para EN 228, ao Km 55,65 à direita a 300 metros em caminho rural

Protecção: IIP, Dec. nº 129/77, DR 226 de 29 Setembro 1977

Enquadramento:

Rural; na junção de dois pequenos outeiros; destacado por pequena clareira; harmonizado; rodeado por mata de pinheiro bravo em zona de interesse paisagístico.

Descrição:

Constituída por rochas de xisto profusamente gravadas, com motivos representando figuras humanas calçadas e descalças de adultos e crianças, ferraduras, covas e círculos, muitas das quais sobrepostas, com três ou quatro motivos diferenciados. As gravuras (rondando a centena) foram executadas pela técnica da picotagem, utilizando utensílios líticos (provavelmente seixos de quartzo, abundantes na zona, aguçados) *1.

Descrição Complementar: Não definido

Utilização Inicial: Cultual (conjectural)

Utilização Actual: Marco histórico-cultural

Propriedade: Privada: pessoa singular

Afectação: Sem afectação

Época Construção: Megalítica

Arquitecto | Construtor | Autor: Não aplicável.

Cronologia: Período Megalítico – feitura das marcas.

Tipologia: Megalitismo podomórfico

Características Particulares:

As pegadas parece terem sido executadas tendo como modelo os pés humanos, calçados ou descalços.

Dados Técnicos: Estrutura autónoma.

Materiais: Xisto.

Bibliografia:

PEDRO, Ivone, VAZ, João L. Inês, ADOLFO, Jorge, Roteiro Arqueológico da Região de Turismo Dão Lafões, Viseu, 1994; CARVALHO, Amadeu Ferraz de, A Terra de Besteiros e o Actual Concelho de Tondela, Tondela, 1981; GOMES, Mário Varela e MONTEIRO, Jorge Pinho, As Rochas Decoradas da Alagoa, in Arqueólogo Português, 7 – 9, III Série, 1974.

Documentação Gráfica: Não definido

Documentação Fotográfica DGEMN: DSID

Documentação Administrativa: DGEMN: DSID

Intervenção Realizada: Não definido

Observações: *1 – é natural que encobertos pelo terreno existam outras até agora desconhecidas.

Autor e Data: João Carvalho 1997

Fonte www.monumentos.pt