Aloá Vera, a babosa abantástica

0
37

A indústria farmacêutica tem tentado manter esta receita longe do conhecimento público devido às suas capacidades verdadeiramente milagrosas! A fórmula é muito especial e apresenta resultados tão bons que as farmacêuticas querem que continue escondida.

Contém um dos ingredientes naturais mais poderosos que se conhecem: a aloé vera, também conhecida como babosa, excelente purificadora do sangue. A aloé vera é rica em nutrientes, como lignina, saponinas, minerais, cálcio, potássio, magnésio, zinco, sódio, cromo, cobre, cloro, ferro, manganésio, betacaroteno, vitaminas B1, B2, B3, B6, C e E, ácido fólico e colina. Por possuir tantos nutrientes, a aloé vera tem um ótimo poder de cura!

Vários terapeutas acreditam que esta planta é eficaz na cura e prevenção de quase todas as doenças, dado que ajuda a renovar totalmente o sistema imunitário.

Um dos inúmeros benefícios da aloé vera é ser indicada para diabéticos pois equilibra os níveis de glicose. Muitas pessoas afirmam mesmo terem sido curadas de doenças graves (como o cancro e a SIDA) graças a esta planta!

Há algum tempo atrás, a fórmula ensinada pelo frei Romano Zago tornou-se conhecida e ganhou fama de conseguir curar o cancro. A aloé vera fortalece o organismo e protege-o até das doenças mais graves.

O melhor tipo de aloé vera é a aloé arborescens, mais fina e que contém pouco gel, sendo que 90% das suas propriedades medicinais se concentram na casca.

Se usares a aloé barbadensis retira 80% do gel antes do preparado.

Antes de colheres a aloé vera, deves verificar que o pé da planta esteve plantado entre 3 a 5 anos no mesmo lugar, pois aí já estará bem forte e os seus princípios ativos terão mais condições para lutar contra as doenças. Colhe a aloé vera quando não tiver chovido há um mínimo de 3 dias, dado que o contacto entre a planta com a água faz com que esta se deteriore mais rapidamente.

Se não for possível, faz a receita e conserva o resultado no frigorífico.

Colhe a aloé vera de preferência à noite ou bem cedo de manhã (antes de o sol nascer), uma vez que ela não deve entrar em contacto direto com a luz do sol ou luzes artificiais. Por esta razão tem em atenção não acender a luz do local onde a estiveres a preparar. Podes acender a luz de uma divisão próxima ou utilizar uma vela.

Durante o processo da colheita, passa um pano húmido para a limpar e retira os espinhos com a ajuda de uma faca.

No espaço de tempo em que a aloé vera estiver a florescer não a utilizes, porque vai estar com os princípios ativos alterados devido à sua necessidade de dar alimento às flores.

Os ingredientes para a receita do remédio natural de aloé vera são os seguintes:

  • 400gr aloé vera
  • 500gr de mel de abelha puro
  • 1 dose de bebida destilada (vodka, aguardente, whisky)

Insere todos os ingredientes num liquidificador e mistura bem durante cinco minutos. Não é necessário filtrar. Coloca a mistura numa garrafa escura e guarda no frigorífico. Antes de consumires, agita bem a garrafa e toma 2 colheres de sopa em jejum assim que acordares, 2 colheres de sopa 10 minuto antes do almoço e 2 colheres de sopa antes do jantar ou antes de deitar.

É importante alertar para a possibilidade do aparecimento de abscessos ou espinhas no corpo, dado que a aloé vera se encontra a purificar o sangue. É natural se o intestino funcionar mais regularmente, sendo sinal que a planta está a desintoxicar a regular o trânsito intestinal.

Quem sofrer de doenças mais graves pode repetir esta receita tão frequentemente quando achar necessário ou até que a doença desapareça. Quem não sofrer de nenhuma doença, deve dar um intervalo de 30 dias entre uma toma e outra.

Segundo o frei Romano Zago, caso o mel utilizado seja puro não há riscos para os diabéticos. Porém, se tiveres receio podes retirá-lo da receita. A única razão para o uso do mel é o facto de a bebida ficar muito amarga sem ele. Se fizeres a receita sem o mel, bebe sumo de limão logo a seguir para retirar o gosto amargo da aloé vera.

A bebida destilada é importante para conservar a bebida mas pode também ser retirada ou substituída por álcool de cereais.