A pequena grande Luana

0
176

Com uma expressão divertida e simpática, Luana Teixeira e seus pais, Patrícia Teixeira, Francisco Teixeira, e o filho mais novo do jovem casal Martin Teixeira recebeu-nos em sua casa, onde fomos tentar saber um pouca mais sobre a pequena grande Luana.

A família Teixeira, natural de Gouviães concelho de Tarouca, já está na Suíça à vinte anos mais propriamente em Zuoz na alta Engadina. A Luana é uma menina diferente de todas as outras pela complexidade que tem com a sua flauta travessa, conta já com um historial notável onde se destaca o primeiro prémio alcançado a nível regional  que decorreu em Chur,  um segundo lugar a nível geral da sua categoria em toda a Suíça, qualificado-se na semifinal que decorreu em Luzern em 1° lugar e em 2° lugar na final que decorreu em Winterthur, provas estas que decorrem em cada dois anos.

Às perguntas que fazia à Luana ela apenas respondia por um sim ou pelo um não com um sorriso e um ar muito envergonhado, o que é normal, pois o seu forte é na musica e não nas entrevistas, mas os pais completavam as suas respostas.

Como foi descoberto na Luana o interesse pela música ou mais propriamente na flauta travessa?
Patrícia Teixeira (P.T.)Desde muito cedo o meu marido fazia, e ainda faz parte de uma banda em Gouviães, e sempre que íamos a Portugal de férias ele ia para os ensaios, e a Luana fazia sempre questão de ir com o pai, onde também havia um senhor lá que ensinava as crianças da banda, ele por brincadeira ofereceu uma flauta travessa de casquinha à Luana e ela nunca a mais largou.

Então aprendeu sózinha, ou foi o pai que a ensinou ?
P.T A parte engraçada começa aqui na Suíça, na escola suíça onde anda a Luana. Eu em conjunto com um grupo de mães resolvemos que os nossos filhos deveriam entrar numa escola de música, que durava dois anos, essa escola na nossa ideia servia só para eles aprenderem um pouco sobre as notas de música, as pautas e outras técnicas.
Passado pouco tempo recebo uma carta escrita em alemão, sobre a inscrição e face à dificuldade em compreender o que lá vinha escrito o meu marido levou a carta para o trabalho e a patroa traduziu e ajudou a preencher, onde perguntou ao meu marido qual o instrumento que ela mais gostava de tocar, e ele respondeu-lhe que era a flauta travessa.
Depois recebemos um telefonema de uma professora de música a dizer que ainda tinha vaga para uma inscrição que já era ao fim do dia, e que seria muito para a Luana porque seria a única a ter a aula e assim o tempo era muito mais aproveitado durante a meia hora da aula.

Os dois prémios alcançados pela Luana, foram apenas o de estatuto ou ganhou alguma bolsa de estudo?
P.T.Apenas ganhou os diplomas que nos envaidece bastante, não só a nós como também a ela, quando inscrevemos a Luana na escola de música nunca foi a pensar em tal dimensão mas se assim foi melhor ainda  pois é graças à professora de música que a ensinou e a ela que se dedicou e empenhou bastante.

Como é o aproveitamento escolar, e no que diz respeito à flauta só toca quando tem aulas de musica ou algum concerto em especial ?
P.T.O aproveitamento escolar da Luana é muito bom, não só na escola suíça como também na escola de português que frequenta aqui em Zuoz.
Com respeito à flauta a Luana para além das aulas, em casa também passa muito tempo a tocar e alegra-nos bastante ouvi-la tocar.

A nível de concertos ou a incorporação numa banda, como vai ser o futuro da Luana?
P.T.Para já o mais importante é os estudos, com respeito à música há um senhor suíço que toca piano, por sinal é marido da professora de música da Luana, que já a convidou a tocar com ele em concertos que faz na Suíça.

Á Luana com apenas nove anos de idade desejamos que este sejas apenas um início de uma carreira prometedora que ela me confessou querer seguir um dia mais tarde onde também gostaria de aprender a tocar piano.
Parabéns à Luana  e à família, e a todos aqueles que proporcionam às crianças um dia a dia feliz como eles merecem.